quarta-feira, 15 de abril de 2009

Das expressões

L. Barbosa conta uma curiosa história sobre quatro pessoas: “Todo Mundo”, “Alguém”, “Qualquer Um”, e “Ninguém”. Havia um importante trabalho a ser feito, mas “Todo Mundo” tinha certeza que “Alguém” o faria. “Qualquer Um” podia tê-lo feito, mas “Ninguém” o fez. “Alguém” zangou-se, porque achava que era um trabalho para “Todo Mundo”. “Todo Mundo” pensou que “Qualquer Um” podia resolver o assunto, mas “Ninguém” imaginou que “Todo Mundo” deixasse de fazê-lo. No final, “Todo Mundo” culpou “Alguém”, quando “Ninguém” fez o trabalho que “Qualquer Um” podia ter feito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário