quarta-feira, 15 de abril de 2009

Da alegria

Um momento de alegria aparece. Está ali, esperando para ser vivido. Mas não fazemos nada. O momento de alegria acha que talvez não o tenhamos percebido. Então passeia diante de nossos olhos, e aguarda nosso sorriso de compreensão. De novo, ficamos imóveis. “O que se passa?”, pergunta o momento de alegria. “Não sei”, respondemos. “Talvez o medo de que você não volte”. “E, mesmo que isto aconteça, o que você tem a perder?”. “A paz de espírito”, continuamos. Com a cabeça baixa, o momento de alegria se afasta. E continuamos com a nossa paz de espírito - aquela paz das tardes de domingo, que ninguém sabe exatamente para que serve, nem o que fazer com ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário