domingo, 24 de agosto de 2008

Quando eu comecei a me amar de verdade...

Deixei de me contentar com pouca coisa. Comecei a valorizar o dom da vida com maior gratidão. Pude compreender que, em qualquer circunstância,eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pude relaxar. Passei a acreditar que poder existir um ser humano sincero. Comecei a viver para mim e só fazer as coisas que me dão prazer. Pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha vontade. Aprendi a satisfazer meus desejos, sem achar que era egoísmo. Comecei a perceber que os desejos do coração acabam se realizando e passei a ter mais calma e paciência, exceto quando esqueço disso. Desisti de ignorar ou de suportar meu sofrimento. Deixei de precisar das pessoas e das coisas para eu me sentir segura. Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo contribui para o meu crescimento. Comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que não está preparado [inclusive eu mesma!] COMECEI A ME LIVRAR DE TUDO QUE NÃO FOSSE SAUDÁVEL. Isso quer dizer: pessoas,tarefas, crenças e hábito qualquer coisa que me pusesse pra baixo. Minha razão e alguns pessoas chamaram isso de egoísmo. Mas hoje sei que é amor-próprio. Deixei de atender o telefone quando não estava com vontade de conversar. Não fiquei tão preocupada em perdoar os outros. Comecei a aceitar o inaceitável. Percebi que são as minhas 'loucuras' que mantem a minha alma viva. Comecei a escrever sobre o que eu vivia e o que eu pensava [como agora!] Aprendi a dizer não quando não quero e a dizer sim quando quero. Procurei me manter neutra, sem classificar as coisas de certas ou erradas. No início, chamei isso de indiferença; hoje percebo que a neutralidade nos faz ver tudo com mais clareza. Passei a perceber que a melhor companhia que eu poderia ter é a minha. Passei a descobrir que a vida pode ser divertida. Pra você descobrir isso é só você realizar algo no qual você nunca faria. Parei de procurar "especialistas" e comecei a viver a minha vida. Senti uma grande paz dentro de mim. FOI BOM... MUUUITO BOM!

Um comentário: